Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Cheiro dos Livros

Depois de ser uma aventura radiofónica resume-se agora a uma forma de manter a minha biblioteca pessoal organizada...

O Cheiro dos Livros

Depois de ser uma aventura radiofónica resume-se agora a uma forma de manter a minha biblioteca pessoal organizada...

Domingos Amaral (Biografia)

Milheiras, 29.03.24

Domingos Sarmento de Matos de Freitas do Amaral é um jornalista e escritor português.
Nascimento: 12 de outubro de 1967

Obras publicadas

Ficção

  • Amor à primeira vista - Casa das Letras, 1998; 1º livro do escritor. Um programa de televisão data do fim dos 80 e a sua apresentadora, a noite em Lisboa, amores e desamores.
  • O fanático do sushi - Casa das Letras, 2000; Um policial editado em livro depois de ter saído no semanário "Independente".
  • Os Cavaleiros de São João Baptista- Casa das Letras, 2004; Cavaleiros e templários, advogados tubarões, filhas de advogados tubarões, estagiários apaixonados pela filha do patrono, fogo posto, sexo, organizações mais ou menos secretas, a cabeça de São João Baptista.
  • Enquanto Salazar dormia…- Casa das Letras, 2006; Escrita fluída, lição bem estudada, amores, camas e romance datado.
  • Já Ninguém morre de amor - Casa das Letras, 2008; Há uma história, uma hierarquia de histórias, a sina da família de Salvador, as mulheres dele e dos seus antepassados.
  • Quando Lisboa Tremeu, Casa das Letras, 2010
  • Verão Quente, Casa das Letras, 2012
  • O Retrato da Mãe de Hitler, 2013
  • Um Casamento de Sonho, 2014
  • Por amor a uma mulher : romance, 2014
  • Assim nasceu Portugal, 2015
  • A vitória do Imperador, 2016
  • Os conquistadores de Lisboa, 2017
  • A bicicleta que fugiu dos alemães, 2019
  • Napoleão Vem Aí, 2021
  • As sete marias que matavam franceses, 2022

Virgílio Castelo (Biografia)

Milheiras, 18.01.24

 

Virgílio Castelo é ator, autor e encenador, tendo sido produtor e consultor de ficção em estações de televisão e produtoras de conteúdos. Fez a sua formação na Escola Superior de Arte Dramática da Universidade de Estrasburgo, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, e estreou-se profissionalmente no primeiro espetáculo realizado em liberdade no nosso país, a 23 de junho de 1974, num texto de revista intitulado Pides na Grelha.

Em 2008, publicou O Último Navegador com a chancela de A Esfera dos Livros.

Em 2014,  publicou Despedida de Casado, também com a chancela de A Esfera dos Livros.

Despedida de Casado
O Último Navegador

 

 

Vergílio Ferreira (Biografia)

Milheiras, 16.06.23

Vergílio Ferreira nasceu em Melo, aldeia do concelho de Gouveia, na Beira Alta, a meio da tarde do dia 28 de janeiro de 1916, filho de António Augusto Ferreira, fogueteiro, e de Josefa Ferreira, doméstica, que, em 1927, emigraram para o Canadá (ou Estados Unidos), em busca de uma vida melhor, ficando Vergílio com os irmãos mais novos, César e Judite. Esta dolorosa separação é descrita em Nítido Nulo. A neve - que virá a ser um dos elementos fundamentais do seu imaginário romanesco - é o pano de fundo da infância e adolescência passadas na zona da Serra da Estrela. Aos 12 anos, após uma peregrinação a Lourdes, entra no seminário do Fundão, que frequentará durante seis anos. Esta vivência será o tema central de Manhã Submersa.

Em 1936, deixa o seminário e acaba o Curso Liceal no Liceu da Guarda. Entra para a Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, continuando a dedicar-se à poesia, nunca publicada, salvo alguns versos lembrados em Conta-Corrente e, em 1939, escreve o seu primeiro romance, O Caminho Fica Longe. Licenciou-se em Filologia Clássica em 1940. Concluiu o Estágio no Liceu D. João III (1942), em Coimbra. Começa a leccionar em Faro. Publica o ensaio "Teria Camões lido Platão?" e, durante as férias, em Melo, escreve "Onde Tudo Foi Morrendo". Em 1944, passa a leccionar no Liceu de Bragança, publica "Onde Tudo Foi Morrendo" e escreve "Vagão "J" que, publicou em 1946, no mesmo ano em que se casou, com Regina Kasprzykowsky, professora polaca refugiada em Portugal, com quem Vergílio ficará até à sua morte. Após uma passagem pelo liceu de Évora (onde escreveu o mundialmente conhecido romance "Aparição", corria o ano de 1953), fixa-se como docente em Lisboa, leccionando o resto da sua carreira no Liceu Camões.

A 3 de setembro de 1979, foi agraciado com o grau de Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.

Em 1980, o realizador Lauro António adapta para o cinema, o romance Manhã Submersa e, Vergílio Ferreira interpreta um dos principais papéis, o de Reitor do Seminário, contracenando assim com outros grandes vultos da cena portuguesa, tais como: Eunice Muñoz, Canto e Castro, Jacinto Ramos e Carlos Wallenstein.

A 4 de fevereiro de 1989, foi agraciado com o grau de Grã-Cruz da Ordem do Mérito.

Em 1992 foi eleito para a Academia das Ciências de Lisboa; no mesmo ano recebeu, pelo conjunto da obra, o "Prémio Camões", o mais importante prémio literário dos países da língua portuguesa.

Vergílio morreu no dia 1 de março de 1996, em sua casa, em Lisboa, na freguesia de Alvalade. O funeral foi realizado no cemitério de Melo, sua terra-natal, porém, o seu pedido para que o caixão onde fora enterrado, ficasse virado para a Serra da Estrela, não foi exatamente concretizado.

 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Verg%C3%ADlio_Ferreira.

Lara Morgado (biografia)

Milheiras, 07.04.23

 

Nasceu em 1981 no Porto. Licenciada em Psicologia, desde sempre se dedicou à escrita literária. No ano 2000 fundou o grupo de teatro X-Acto. Assinou a dramaturgia e encenação de dezenas de peças de teatro com apresentações em salas de espetáculo de todo o país. Foi ainda responsável pela realização de trinta produções teatrais no âmbito da sua atuação profissional. Em 2012 lança o seu primeiro livro, Por Acaso - casos de vida casos de morte, mas é com Sete Minutos, em 2013, que se assume como romancista. Em 2016 foi o lanaçamento de As cores de Branca.  Participou ainda em vários projetos televisivos, sendo autora e guionista da série Dentro, com estreia na RTP1 em 2016.

 

 

 

Orlando Piedade (Biografia)

Milheiras, 20.09.22

44461864_1965427986856602_6679841057829552128_n.jp

Orlando da Glória Silva Piedade nasceu em São Tomé, em 1974. Mestre em Engenharia Informática pelo ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa e Licenciado em Informática de Gestão pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias. É  o autor dos romances:

"O Amor Proibido"

São Tomé e Príncipe séculos XV-XVIII. Um amor proibido entre um negro, filho de escravos, e uma mestiça, filha de uma fazendeira rica e um branco pertencente às elites colonizadoras, numa sociedade complexa, dominada pelo racismo, interesses económicos, jogos de poder e vicissitudes públicas das mais diversas ordens. O Amor Proibido retrata a chegada dos portugueses, o povoamento das ilhas através do tráfico de escravos e os degredados provenientes da metrópole, bem como, a fundação das cidades de São Tomé e de Santo António. Retrata ainda a evolução económica, a criação de uma sociedade crioula complexa, diversificada e especialmente propensa às conflitualidades. Os escravos, os angolares, a vida dos foragidos, a vida nas roças, o papel das mulheres naquela sociedade, as mulheres casadas, o casamento e as ligações económico-sociais são aspectos também focados

"Os Meninos Judeus Desterrados"

Depois de O Amor Proibido o escritor Orlando Piedade leva-nos, novamente, até São Tomé e Príncipe para um novo romance baseado em factos verídicos.
Tendo como pano de fundo a história de duas mil crianças com idades compreendidas entre os seis e oito anos, na sua maioria filhos de judeus castelhanos que fugiram à inquisição no reino de Castela, durante o reinado dos reis católicos. Retiradas aos pais e enviadas por ordem d’El-Rei D. João II para povoar as ilhas de São Tomé e Príncipe, no ano de mil quatrocentos e noventa e três, logo fase inicial do povoamento destas ilhas.
Baseado numa rigorosa investigação histórica, este romance narra o percurso de uma criança de seis anos que sobrevive e vence contra todas as probabilidades. Com especial apetência para atrair o perigo, quer por onde passe, Javier encontra o seu grande amor blindado pelo ódio religioso que o obriga a caminhar sobre o fio da navalha.

 

"Escravos e Homens Livres"

Depois de ter sido distinguido com o prémio literário Francisco José Tenreiro 2015 com o livro Os Meninos Judeus Desterrados - um romance baseado em factos históricos que relata o percurso de cerca de duas mil crianças judias, com idades compreendidas entre os seis e oito anos, retiradas aos pais, enviadas para povoar as ilhas de São Tomé e Príncipe, sob as ordens do capitão donatário Álvaro de Caminha, no ano 1493, ainda numa fase bastante embrionária do povoamento destas ilhas - o autor regressa com mais um romance, também este baseado em factos históricos.

Desta feita, versa sobre a vida dos africanos em Lisboa, expondo as duras condições de vida que tiveram, depois da abolição da escravatura em Portugal, decretada pelo Marques de Pombal, em 1773. Desta vez, o autor não só nos leva, outra vez, até São Tomé e Príncipe como também a Luanda, tendo sempre como pano de fundo factos verídicos.

José Rentes de Carvalho (Biografia)

Milheiras, 28.03.21

 

 

José Rentes de Carvalho

De ascendência transmontana, J.Rentes de Carvalho nasceu em 1930, em Vila Nova de Gaia, onde viveu até 1945. Frequentou no Porto o Liceu Alexandre Herculano, e mais tarde os de Viana do Castelo e de Vila Real, tendo cursado Românicas e Direito em Lisboa - onde cumpriu o serviço militar. Obrigado a abandonar o país por motivos políticos, viveu no Rio de Janeiro, em São Paulo, Nova Iorque e Paris, trabalhando para jornais como O Estado de São Paulo, O Globo ou a revista O Cruzeiro. Em 1956 passou a viver em Amesterdão, na Holanda, como assessor do adido comercial da Embaixada do Brasil. Licenciou-se (com uma tese sobre Raul Brandão) na Univ. de Amesterdão, onde foi docente de Literatura Portuguesa entre 1964 e 1988. Dedica-se desde então exclusivamente à escrita e a uma vasta colaboração em jornais portugueses, brasileiros, belgas e holandeses, além de várias revistas literárias. A sua bibliografia inclui romances (entre eles, Montedor, 1968, O Rebate, 1971, A Sétima Onda, 1984, Ernestina, 1998, A Amante Holandesa, 2003), contos, diário (Tempo Contado ou Tempo sem Tempo), crónica (Mazagran, 1992) e guias de viagem. O seu Portugal, een gids voor vrienden (Portugal, Um Guia para Amigos), de 1988, esgotou dez edições. Com os Holandeses (Waar die andere God woont, publicado originalmente em neerlandês, em 1972, e um sucesso editorial na Holanda) é a primeira obra de J. Rentes de Carvalho no catálogo da Quetzal. O mais recente título de Rentes de Carvalho é Gods Toorn over Nderland - A Ira de Deus sobre a Holanda. Em 2012 foi galardoado com o Grande Prémio de Literatura Biográfica APE/Câmara Municipal de Castelo Branco 2010-2011com o livro Tempo Contado.

A minha opinião: Adoro a forma como escreve e como nos leva ao seu mundo, realidades tantas vezes escondidas à vista de todos...

Filomena Marona Beja ( Biografia)

Milheiras, 19.03.21

 

Filomena Marona Beja

Filomena Marona Beja nasceu em Lisboa, a 9 de Junho de 1944. Até  de 2008, desenvolveu na área da Documentação técnico-científica a sua actividade profissional.
JunhoPublicou os romances Betânia (2000), A sopa (2004), com o qual ganhou o Grande Prémio de Literatura DST em 2006, A duração dos crepúsculos (2006), A Cova do Lagarto (2007), galardoado com o Grande Prémio de Romance e Novela da APE / DGLB, e As cidadãs (2009).

 

Mas eu conheci o seu trabalho através do livro Eléctrico 16, que não foi premiado, mas fez com que me interessasse pela sua obra, de uma leitura fácil, mas que nos faz pensar e reflectir e acaba por ser imtemporal.

 

 

Mar Cantero Sanchez (Biografia)

Milheiras, 11.08.20

Mar Cantero Sanchez nasceu em Madrid e, desde muito cedo, abraçou a sua paixão pela escrita. 

Mar Cantero Sánchez

É coach de criatividade, diretora da revista Cé Chic e colunista em várias revistas espanholas, como a Cosmopolitan ou a Objetivo Bienestar.

Acredita que o romantismo e a autoajuda devem andar juntos, já que, no amor, todos temos sempre algo para melhorar.

Saiba mais sobre a autora em www.marcanterosanchez.com

Outras obras da autora:

Escribe para ser feliz: La escritura, una genial herramienta de auto ayuda

Los mares del alba

El tatuaje: Podría pasarte a ti

Viajera de la felicidad: Volume 1

Las chicas del Club de Belly Dance (Romantic Ediciones): Una reality novela

Arbol de los pajaros alegres: Volume 1

RelacionArte: Una actividad de riesgo

 

 

 

Álvaro Magalhães - Biografia

Milheiras, 21.02.20

Álvaro Magalhães nasceu no Porto, em 1951, e publicou o seu primeiro livro em 1982.
A sua obra para crianças e jovens, que integra poesia, conto, ficção e textos dramáticos, repartindo-se por mais de 120 títulos, caracteriza-se pela originalidade e invenção, quer na escolha dos temas quer no seu tratamento.
Foi várias vezes premiado pela Associação Portuguesa de Escritores e Ministério da Cultura. Em 2002, O limpa-palavras e outros poemas foi integrado na Honour List do Prémio Hans Christian Andersen, em 2004, Hipopóptimos – Uma história de amor foi distinguido com o Grande Prémio Calouste Gulbenkian e, em 2014, O senhor Pina recebeu o prémio Autores, atribuído pela Sociedade Portuguesa de Autores ao melhor livro infantojuvenil publicado nesse ano.
Várias das suas publicações integram o Plano Nacional de Leitura e constam do corpus das Metas Curriculares de Português.
Parte da sua obra está publicada em Espanha, França, Brasil, Coreia do Sul e Itália.

 

Tem colecções como: O Estranhão, Os Indomáveis F.C. , entre outros...

Jeff Kinney - Biografia

Milheiras, 14.02.20

Jeff Kinney é um autor bestseller, n.º 1 do New York Times e seis vezes vencedor do Nickelodeon Kids’ Choice Award, na categoria Livro Favorito.
Já foi nomeado pela revista Time como uma das «100 Pessoas Mais Influentes do Mundo» e é também o criador do Poptropica, que foi escolhido pela mesma revista Time como um dos «50 Melhores Sites da Internet».
Jeff passou a infância na zona de Washington, D.C., e mudou-se para a Nova Inglaterra em 1995. Vive com a mulher e os dois filhos no sul do Massachusetts, onde tem uma livraria com um nome sugestivo: An Unlikely Story (Uma História Improvável).
Produzidos pela Twentieth Century Fox, os diários de Greg chegaram ao grande ecrã, tendo rendido 250 milhões de dólares.
O Diário de um Banana mantém-se ininterruptamente na lista de bestsellers do New York Times desde 2007, contando já com 65 edições traduzidas pelo mundo, em 57 línguas, e mais de 203 milhões de livros editados em todo o mundo.
Em Portugal, a coleção soma mais de 1 milhão de exemplares editados. A página do Facebook (www.facebook.com/diariobanana) conta com cerca de 120 mil fãs.