Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Cheiro dos Livros

Depois de ser uma aventura radiofónica resume-se agora a uma forma de manter a minha biblioteca pessoal organizada...

O Cheiro dos Livros

Depois de ser uma aventura radiofónica resume-se agora a uma forma de manter a minha biblioteca pessoal organizada...

Quando Lisboa Tremeu de Domingos Amaral (Opinião)

Milheiras, 01.04.24

Início da leitura: 29 de Março de 2024

Terminus: 01 de Abril de 2024

Título: Quando Lisboa Tremeu
Autor:  Domingos Amaral 
ISBN: 9789896602055
Edição ou reimpressão: 03-2012
Editor: BIS
Idioma: Português
Dimensões: 123 x 188 x 22 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 432
 
Opinião:
 
Apesar das 432 páginas foi um livro fácil de ler, apesar de ser sobre umas das maiores catástrofes tem uma história que o enreda e nos faz querer ler mais, valeu estes dias de chuva que não nos deixaram sair e assim foi dedicando o meu tempo à leitura.
Não posso dizer que foi dos melhores que li, mas soube bem...
 
Excerto:
 
"As cidades não são apenas espaços prédios e vidas e monumentos e pessoas desconhecidas. São, acima de tudo, partes do nosso ser, da noss vida, dos nossos sentimentos, das nossas memórias; camadas e camadas de vivências humanas que se vão sobrepondo, umas sobre as outras."

Domingos Amaral (Biografia)

Milheiras, 29.03.24

Domingos Sarmento de Matos de Freitas do Amaral é um jornalista e escritor português.
Nascimento: 12 de outubro de 1967

Obras publicadas

Ficção

  • Amor à primeira vista - Casa das Letras, 1998; 1º livro do escritor. Um programa de televisão data do fim dos 80 e a sua apresentadora, a noite em Lisboa, amores e desamores.
  • O fanático do sushi - Casa das Letras, 2000; Um policial editado em livro depois de ter saído no semanário "Independente".
  • Os Cavaleiros de São João Baptista- Casa das Letras, 2004; Cavaleiros e templários, advogados tubarões, filhas de advogados tubarões, estagiários apaixonados pela filha do patrono, fogo posto, sexo, organizações mais ou menos secretas, a cabeça de São João Baptista.
  • Enquanto Salazar dormia…- Casa das Letras, 2006; Escrita fluída, lição bem estudada, amores, camas e romance datado.
  • Já Ninguém morre de amor - Casa das Letras, 2008; Há uma história, uma hierarquia de histórias, a sina da família de Salvador, as mulheres dele e dos seus antepassados.
  • Quando Lisboa Tremeu, Casa das Letras, 2010
  • Verão Quente, Casa das Letras, 2012
  • O Retrato da Mãe de Hitler, 2013
  • Um Casamento de Sonho, 2014
  • Por amor a uma mulher : romance, 2014
  • Assim nasceu Portugal, 2015
  • A vitória do Imperador, 2016
  • Os conquistadores de Lisboa, 2017
  • A bicicleta que fugiu dos alemães, 2019
  • Napoleão Vem Aí, 2021
  • As sete marias que matavam franceses, 2022

Despedida de Casado de Virgílio Castelo (Opinião)

Milheiras, 28.03.24

Início da leitura: 08 de Agosto de 2018

Terminus: 28 de Março de 2024

Título: Despedida de Casado
Autor:  Virgílio Castelo
ISBN: 9789896265304
Edição ou reimpressão: 03-2014
Editor: A Esfera dos Livros
Idioma: Português
Dimensões: 158 x 234 x 20 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 264
 
Opinião:
 
Foi uma agradável surpresa, não é um livro que intimide pelo seu tamanho, mas demorei 6 longos anos a lê-lo, pelas vicissitudes várias da minha vida. Mas também porque é um livro que tem de ser "mastigado", se não  queremos perder tudo o que o envolve, com este livro aconteceu-me uma coisa que raramente, me acontece, quando estava a 4 ou 5 páginas do fim iniciei a leitura  de outro, como se não quisesse chegar ao fim...
Mas pronto cheguei ao fim! Não com aquele sentimento e agora? Ficou tudo muito bem arrumado.
Agora só resta a curiosidade de ler outras obras do mesmo autor.
 
Excerto: " Há quem diga da sabedoria, ser esta adquirida à medida que as coisas mais simples de tornam mais apreciadas."
 

Virgílio Castelo (Biografia)

Milheiras, 18.01.24

 

Virgílio Castelo é ator, autor e encenador, tendo sido produtor e consultor de ficção em estações de televisão e produtoras de conteúdos. Fez a sua formação na Escola Superior de Arte Dramática da Universidade de Estrasburgo, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, e estreou-se profissionalmente no primeiro espetáculo realizado em liberdade no nosso país, a 23 de junho de 1974, num texto de revista intitulado Pides na Grelha.

Em 2008, publicou O Último Navegador com a chancela de A Esfera dos Livros.

Em 2014,  publicou Despedida de Casado, também com a chancela de A Esfera dos Livros.

Despedida de Casado
O Último Navegador