Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Cheiro dos Livros

Depois de ser uma aventura radiofónica resume-se agora a uma forma de manter a minha biblioteca pessoal organizada...

O Cheiro dos Livros

Depois de ser uma aventura radiofónica resume-se agora a uma forma de manter a minha biblioteca pessoal organizada...

Sinais de Fogo de Jorge de Sena (Opinião)

Milheiras, 05.06.20

Opinião:

Uma verdadeira obra literária, uma surpresa, um livro que temos de ter a mente aberta para ler, que nos desconstrói, uma série de floreados ou imagens que nos fazem passar desta época, mostra a verdade nua e crua destes tempos conturbados e como foram ainda mais conturbados do que nos transmitem.

 

Excerto:

" O egoísmo, da inocência, da ignorância, o egoísmo pavoroso dos que se querem e querem os outros, inocentes, ignorantes, conformados, e cada um fechado sossegadamente na sua paz, e defendendo o pior com ferocidade, com bondade, e até honesta doçura, as fronteiras invioláveis do seu primeiro, segundo ou terceiro andar, mais as pratas e os filhos contra a invasão de qualquer grito ou angústia." pp. 659

 

 

Inicio: 02-12-2015

Terminus: 08-08-2016

 

Sinais de Fogo

Título: Sinais de Fogo

Autor: Jorge de Sena

Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 664
Editor: Guimarães Editores
ISBN: 9789726656272
 
Sinopse:
Romance único de Jorge de Sena, parcela de um projecto romancesco de grande dimensão cuja designação genérica seria Monte Cativo, objectivando o recorte de uma geração nascida nos finais dos anos 10 do século XX, Sinais de Fogo abriga em si o despertar de um jovem, entre um grupo de amigos e familiares, para a sexualidade, a política e o fazer poético. De uma erudição e de um rigor literário inexcedíveis, aqui se fixa um olhar sobre o ano de 1936 português, tendo como pano de fundo o início da Guerra Civil de Espanha.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.