Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Cheiro dos Livros

Depois de ser uma aventura radiofónica resume-se agora a uma forma de manter a minha biblioteca pessoal organizada...

O Cheiro dos Livros

Depois de ser uma aventura radiofónica resume-se agora a uma forma de manter a minha biblioteca pessoal organizada...

Não há Seda nas Lembranças de Jorge Serafim (Opinião)

Milheiras, 07.04.20

Iniciei  a leitura em Agosto de 2015 e terminei no início de Setembro de 2015

A minha opinião:

Este foi sem dúvida um livro que foi um murro no estômago. Uma obra fascinante!!!

De um autor que nos dá sempre o seu lado mais comediante...

Depois presentea-nos com uma obra como esta, inesquecível, dura , mas ao mesmo tempo tão realista...

Um dos melhores livros que li em toda a minha vida...

Excertos:

(...) Cá para mim, esta guerra parece-me igual a todas as outras. Os que têm contra os que não têm! Os que podem ter contra os que também querem ter. Os que mandam em tudo contra os que não mandam nada. Os que querem mais contra os que têm de menos. Os de barriga cheia contrs os de barriga vazia. Não me estão a dar novidade nenhuma...Portanto, cá se vai andando com a ganância ente orelhas.(...) pp. 67

(...) Extiguiram as ordens religiosas e nacionalizaram os seus bens enquanto uma certa burguesia endinheirada, canalhas mais propriamente, apoiante da causa liberal, se apropriou de muito do património vendido ao desbarato pela Fazenda Pública. (...) Manipulam-se as populações anónimas e humildes para confrontos que se perderam dos ideais nas barrigas dos avaros e sobram ódios e vinganças cruentas que atravessam gerações. (...) pp. 74

(...) O que eles argumentam, filho, é que não se pode parar o progresso. E o progresso para essa gente sem respeito por coisa alguma é alargar ruas, desembocá-las em avenidas imaginadas, ordenar espaço para as máquinas circularem em vez de pessoas, projectar o futuro por cima de tudo e de todos, precaver a solidez financeira. Perspectivam mas não ouvem!.. E tudo o que se atrevessou à sua frente, foi abaixo! É isto o progresso, dizem eles... (...) pp.78

(...) A história repete-se, as pessoas quando não têm esperança, desfazem-se de tudo para que a salvação das almas seja bem encomendada. A manutenção dos medos dá muito dinheiro... pp. 131

(...) A vida é como um relógio, amiga. Se não lhe limpar as impurezas, se não se olear os seus mecanismos, se não se lhe der corda, emperra. Obstrui-se. Nem a dor desagua nem a alegria tem caudal. Foi o que lhe sucedeu.. pp. 135

 

(...) O Ciclo da terra deveria ser o ciclo dos homens! (...) pp. 146

Título: Não há Seda nas Lembranças

Autor: Jorge Serafim

Edição/reimpressão: 2014

Páginas: 168

Editor: Âncora Editora

ISBN: 9789727804740

Coleção: Holograma