Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Cheiro dos Livros

Depois de ser uma aventura radiofónica resume-se agora a uma forma de manter a minha biblioteca pessoal organizada...

O Cheiro dos Livros

Depois de ser uma aventura radiofónica resume-se agora a uma forma de manter a minha biblioteca pessoal organizada...

Édipo de Carlos Céu e Silva

Milheiras, 28.02.21
Édipo
 
Título: Édipo
Autor: Carlos Céu e Silva 
ISBN: 9789898218162
Edição: 11-2009
Editor: Coisas de Ler
Idioma: Português
Dimensões: 179 x 297 x 6 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 52
 
 
Sinopse

O nosso primeiro sentimento de identidade, ainda confuso e desenhando-se sobre um fundo de vivências e experiências mal definidas, que se amalgamam umas com as outras, é provavelmente o de sermos filhos de alguém. Filhos de dois seres que se nos apresentam no princípio de tudo, necessário e inevitável elo de ligação com tudo o mais. Isso os qualifica de uma maneira óbvia como pais, como origem, como explicação da existência do filho. Filho que não escolheu nem desejou ser, mas que se confronta com a experiência de existir, oferecida por aqueles que desejaram que nascesse. E que lhe oferecem o privilégio de ser amado incondicionalmente, tendo o direito de tudo esperar, mesmo antes de saber o que é o desejo. João Seabra Diniz

O «Complexo de Édipo» é o termo mais célebre com que Freud cunhou o vocabulário e o pensamento do século XX. O Compêndio de Psicanálise sublinha já este facto e estende as consequências a todo o género humano: «se a psicanálise tivesse apenas no seu activo a descoberta do complexo de Édipo recalcado, isto só seria suficiente para a situar entre as mais valiosas das novas aquisições do género humano».

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.