Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Cheiro dos Livros

Depois de ser uma aventura radiofónica resume-se agora a uma forma de manter a minha biblioteca pessoal organizada...

O Cheiro dos Livros

Depois de ser uma aventura radiofónica resume-se agora a uma forma de manter a minha biblioteca pessoal organizada...

1755 - O Grande Terramoto de Filomena Oliveira e de Miguel Real

Milheiras, 25.04.21
1755 - O Grande Terramoto
 
Título: 1755 - O Grande Terramoto
Autor:  Filomena Oliveira e Miguel Real 
ISBN: 9789725592717
Editor: Europress
Idioma: Português
Dimensões: 140 x 204 x 12 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 216
 
 
Sinopse

Dois eixos dramáticos unifi cam o todo da peça: a história de Mariana e do seu presumível incesto com o conde de Unhão, que se inscreve na Lisboa popular, e a história da ascensão ao poder do Marquês de Pombal, como ministro do reino e construtor do Estado português contemporâneo.
O contexto de toda a acção dramática localiza-se em Lisboa, antes, durante e depois do terramoto.
Ao longo da primeira parte, esboçam-se os confl itos entre as personagens e grupos sociais (os políticos, os nobres, os religiosos, os embaixadores, as prostitutas do Botequim da Rosa, o povo das ruas de Lisboa) na luta por privilégios, infl uências, interesses e poder. Na segunda parte, iniciada a partir dos escombros do terramoto, evidencia-se a emergência do poder pessoal do Marquês de Pombal que, iluminística e despoticamente, intenta não só construir uma cidade nova como igualmente criar uma nova mentalidade e um novo Portugal.
Nos escombros do velho Portugal, supersticioso e deca dente, de nobreza falida, dominado por uma mentalidade eclesiástica, nasce a ferro e fogo uma cidade nova, geométrica, e um país moderno, burguês, sem escravos nem cristãos-novos, com escolas públicas e comércio intenso.